sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Casamento na Índia!



Estamos agora na Índia em uma época de casamentos, em que casar-se nessa época do ano traz boa sorte para a união.
Para os indianos o casamento é muito importante, e todos devem casar-se na vida. A idade normal para o homem casar-se aqui é perto dos 30, e existem dois tipos de casamentos na Índia: casamento por amor (que significa casamento por motivos que nós consideramos normais no Ocidente, haha) e casamentos arranjados, em que a família do noivo escolhe para ele alguma mulher que ele deve passar o resto da vida junto. Ah, os casamentos arranjados correspondem a maioria dos casamentos indianos, mas quando se conhece as pessoas daqui isso parece bastante óbvio.
Nos casamentos arranjados podem acontecer umas coisas meio curiosas: o casal normalmente se conhece na cerimônia do casamento, mas as vezes as famílias deixam que eles entrem em contato com alguns meses de antecedência, para aliviar o nervosismo, deixar tudo mais natural e etc.



Divórcios

Divórcios são permitidos na Índia, mas não faz parte da cultura indiana se divorciar. Como normalmente as pessoas são passivas e tentam se ajustar, fazendo com que mesmo esse casamento arranjado, tão estranho para nossa cultura brasileira, resulte em casamentos felizes. Também, quando as mulheres se casam elas andam com uma linha vermelha pintada no centro da cabeça, que também pode significar um casamento feliz.
A linha vermelha chama-se Sindoor, e a mulher mostra com isso que deseja um longo casamento com seu atual marido.



O casamento e minha experiência com a cerimônia

O casamento hindu dura três dias (não sei se é assim somente na Índia, porque os casamentos muçulmanos duram 5 dias!), e cada dia ocorre em um local diferente, com suas diferenças.



O primeiro dia

No primeiro dia o noivo vai até a casa da noiva, para que o pai da noiva entregue sua filha a um outro homem. É nesse dia que ocorre toda a cerimônia do casamento, com todas as preces e tradições religiosas. Somente os membros das duas famílias e amigos da noiva estão presentes nessa cerimônia.
Não há festas nem nada semelhante a isso nesse primeiro dia, é realmente a religiosidade somente.
No final da noite o noivo passa a noite na casa da família da noiva.
Logicamente, tem uma coisa bem estranha que acontece nesse dia: antes do noivo entrar na casa da família da noiva a porta é deixada trancada e as amigas da noiva fazem um “pedágio” para ele entrar, ou seja, ele precisa dar uma quantia simbólica de dinheiro (coisa de 300 Rs, ou R$ 12,00). É uma tradição meio ridícula que mesmo os indianos riem quando comentam disso, haha.
Outra curiosidade é que quem paga tudo nesse dia é a família da noiva, e mesmo sem festa é o dia mais caro do casamento.



O segundo dia

No segundo dia o noivo leva a noiva para conhecer a sua família em sua casa. Não acontece nada demais nesse dia, somente que o casal passa a noite na casa dos pais do noivo, assim ele mostra sua nova esposa para a família.



Terceiro dia

Um colega casou-se no dia 21 de novembro, então fui chamado para participar do terceiro dia do casamento, dia 23. No terceiro dia do casamento é a celebração, quando acontecem as festas abertas para todo mundo, e normalmente mais de 500 pessoas comparecem. Como tudo na Índia, lotado.
Nesse dia há um jantar, e eu viajei 3hrs (só 87km!) para chegar ao salão onde o jantar foi preparado. Ainda vou fazer um post só sobre viagens e sobre o trânsito indiano, por isso não vou entrar em detalhes.
Chegando lá, já do lado de fora estava tudo decorado com luzes. Até um letreiro de Welcome estava lá.
A entrada do salão de festas. Ficava em cima de uma galeria de lojinhas.

Quando chegamos a primeira coisa foi parabenizar o novo casal. Os dois ficavam em um lugar especial para receber as pessoas, onde a noiva ficava sentada em um assento bem decorado.
Assim que chegamos, apesar dos dois compreenderem muito bem inglês, o correto é dizer "Namaste" ao encontrar o casal, juntando as mãos a frente do corpo e se inclinando levemente.
"Namaste" é como um "olá", mas é algo respeitoso.

O assento da noiva fica em um local especial para isso. Ah, para esse evento eu comprei um Punjabi Kurta masculino.

Foi uma noite bem simples na verdade. Nós chegamos, cumprimentamos a família do noivo, o casal, comemos e fomos embora. Basicamente foi isso.
Ah, nessa noite quem paga tudo é a família do noivo...
A comida da Índia merece uma meia dúzia de posts especialmente destinada a esse assunto, mas vou resumir dizendo que a comida foi muito boa, com arroz, peixe, carneiro e muitos doces de sobremesa. Bom demais.

Também há lua-de-mel para a religião hindu, mas como eles não são íntimos (se conhecem a poucas semanas) eles resolveram que viajarão somente no fim do ano, não logo após os três dias de casamento.


Todos meus colegas da companhia que foram no casamento.